Estudo mostra eficiência de diferentes  inseticidas no controle do Psilídeo

Estudo mostra eficiência de diferentes inseticidas no controle do Psilídeo

Danila Corassari

Engenheira Agrônoma

danilacorassari@gmail.com
Humberto Vinícius Vescove

Consultor Vescove Consultoria, GTACC

vescoveconsultoria@gmail.com

 

 

O emprego de agroquímicos é um dos métodos mais eficazes contra o inseto vetor do Greening

O inseto Diaphorina citri, conhecido popularmente como Psilídeo, é transmissor da bactéria causadora do Greening, uma das principais doenças que ameaçam a citricultura. Portanto, o controle do Psilídeo torna-se uma das mais importantes medidas de manejo da doença e o emprego de agroquímicos é um dos métodos mais eficazes.

Diante da importância de se estudar o efeito de diferentes produtos fitossanitários no controle do Psilídeo, o GTACC, em parceria com a empresa Cheminova (hoje adquirida pela FMC), conduziu um estudo com o objetivo de avaliar a eficiência de cinco inseticidas, em diferentes doses, sobre a mortalidade do inseto transmissor do Greening (Tabela 1).

Tabela 1: Descrição dos inseticidas utilizados no estudo desenvolvido pelo GTACC em parceria com a Cheminova.

Descrição dos inseticidas utilizados no estudo desenvolvido pelo GTACC em parceria com a Cheminova

O trabalho foi executado em 2014, no Instituto de Biotecnologia de Araraquara, na Uniara – Centro Universitário de Araraquara, pelo professor Humberto Vinícius Vescove, também Consultor e Membro do GTACC), e pela engenheira agrônoma Danila Maria Corassari. Eles utilizaram mudas de laranjeira ‘Valência’, que foram pulverizadas em ambiente aberto com o auxílio de um pulverizador costal de 5 litros.

Após a pulverização, um ramo de cada muda foi coberto com um “voal” (gaiola confeccionada com tecido tipo Tunil), onde 10 Psilídeos adultos foram aprisionados. A avaliação do experimento foi realizada pela contagem de insetos vivos 7, 12 e 15 dias após a aplicação dos inseticidas (DAA). Nos dias de avaliação, os 10 insetos que estavam na planta anteriormente eram retirados e outros 10 eram confinados, para verificar até quando o inseticida teria efeito sobre a mortalidade dos Psilídeos. “Foi possível verificar que no 7º dia, os inseticidas tiveram 100% de eficiência (veja o gráfico), ou seja, todos os inseticidas mataram os 10 insetos, mas o maior efeito residual foi verificado com a aplicação de Dimetoato na dose de 2,0 L em tanque de pulverização de 2000L,cuja eficiência foi superior a 70% no 15º dia”, explica Danila.

Para avaliar a eficiência de controle dos inseticidas foi utilizada a fórmula de ABBOTT (1925), descrita abaixo:

E(%)= (t-p)/(t×100)

Onde:
E (%) é a eficiência em porcentagem
t é a infestação nas testemunhas,
p é a infestação na parcela tratada.

Os resultados do trabalho demonstraram que todos os inseticidas foram eficientes no controle do Psilídeo, com destaque ao produto de ingrediente ativo Dimetoato aplicado na dose de 2,0 L/2000L, que apresentou maior mortalidade do inseto transmissor do Greening por um período de tempo mais elevado.

Figura 1: Avaliação da eficiência (%) dos inseticidas testados, de acordo com a fórmula de ABBOTT (1925), no controle do Psilídeo.

*DAA: Dias após a aplicação do inseticida.
*DAA: Dias após a aplicação do inseticida.
61ª edição

UPL Agricultura é nossa cultura