img-exemplo3

A viabilidade de antecipar o florescimento com a irrigação

Humberto Vinícius Vescove

Consultor Vescove Consultoria, GTACC

vescoveconsultoria@gmail.com

 

Conheça quais são as principais vantagens e desvantagens e o que deve ser levado em conta ao antecipar o florescimento utilizando a irrigação.

Resultante de um conjunto de reações bioquímicas e fisiológicas, o florescimento das plantas cítricas, além de ser uma forma de perpetuação da espécie, está intimamente relacionado à produção e sustentabilidade do setor citrícola. Para que o citros possa florescer, é necessário que as gemas vegetativas se transformem em reprodutivas, sendo que essa diferenciação ocorrerá se houver algum estímulo ocasionado por um período de inverno ou de déficit hídrico.

No estado de São Paulo, a indução do florescimento se dá pelo repouso vegetativo durante a seca. Durante o déficit hídrico, as gemas vegetativas se diferenciam em gemas florais. No Estado, o período de déficit hídrico ocorre de maio a setembro, porém, este diminui conforme se avança para a região do Sul do estado.

É a fase de florescimento e “pegamento” de frutinhos que determinará a produção do pomar, entretanto estas etapas são influenciadas pelas variáveis temperatura e disponibilidade de água. Dessa forma, a irrigação constitui-se em uma importante técnica para garantir uma ótima produção e qualidade da fruta, mas, além disso, é uma importante ferramenta que auxilia o citricultor na tomada de decisão, principalmente em relação à antecipação ou não do florescimento das plantas cítricas. Mas antecipar o florescimento utilizando a irrigação é uma prática viável?

O uso da irrigação para antecipar o florescimento é uma forma de garantir a sustentabilidade econômica do citricultor, pois dessa forma, é possível reduzir os riscos do florescimento de laranjeiras na mesma época, além de ser possível colher frutas fora de época e destiná-las ao mercado de fruta fresca, com um preço mais favorável.

Além disso, com o florescimento antecipado, menor é a chance das flores e frutinhos serem submetidos a altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar, sendo estes, fatores que reduzem o “pegamento” de flores e frutinhos.

A irrigação para antecipar o florescimento também pode ser utilizada para auxiliar na fitossanidade do pomar, uma vez que esta prática permite que o período de florescimento ocorra antes das chuvas volumosas que favorecem a podridão floral dos citros. O mesmo ocorre com a pinta preta dos citros, pois o florescimento antecipado auxilia o citricultor no manejo da doença que será realizado em períodos de pouca chuva e baixa umidade relativa do ar. Para o greening, a antecipação do florescimento utilizando a irrigação permite que haja uma brotação mais uniforme, facilitando o controle do agente vetor. E no caso do cancro cítrico, um maior controle da larva-minadora pode ser obtido caso as brotações sejam antecipadas, além das pulverizações com cobre serem mais eficientes, uma vez que as chuvas são menos frequentes e menos volumosas, e, além disso, com a antecipação da brotação, é possível que os frutos não sejam infectados com a bactéria, pois no período das águas, os frutos podem estar acima do tamanho crítico (diâmetro de 50 mm) para a infecção.

Apesar de todos os benefícios citados, pode ser que o florescimento antecipado não seja satisfatório, pois o processo de florescimento é complexo e envolve processos fisiológicos e biológicos e a ação do clima. Além do mais, o florescimento é influenciado pela safra pendente que reduz a intensidade do florescimento, do “pegamento” e do crescimento inicial de frutos, pois estes competem pela disponibilidade de carboidratos, teores de nitrogênio, fósforo e potássio com os frutos da carga pendente.

O custo da irrigação é um fator que deve ser levado em consideração ao realizar a antecipação do florescimento, sendo que dependendo do lucro líquido recebido do preço da laranja e do total de dias de irrigação, é necessário aumentar a produtividade do pomar para custear a irrigação.

Veja no Gráfico 1 que se o lucro líquido obtido for de R$ 3,00, por exemplo, e os pomares forem irrigados por 100 dias, será necessário produzir cerca de 444 caixas de 40,8Kg por hectare a mais para custear a irrigação, enquanto, se o tempo de irrigação foi de 150 dias, será necessário uma produtividade de aproximadamente 552 caixas de 40,8 Kg por hectare para pagar a irrigação no mesmo lucro líquido, dando uma diferença de produtividade necessária de 108 caixas de 40,8 Kg por hectare para custear 50 dias a mais de irrigação.

Gráfico 1: Aumento da produtividade (caixas de 40,8Kg.ha-1) para custear a irrigação em função do lucro líquido recebido da venda da laranja.

Grafico-de-irrigacao

Além disso, podem ocorrer perdas pela queda de frutas destinadas à indústria caso estas não sejam colhidas no final da maturação, já que com a antecipação do florescimento, as frutas atingem o ponto de maturação antes do que as frutas cujo florescimento não foi adiantado.

Dessa forma, para que o processo de antecipação do florescimento utilizando a irrigação seja viável, é necessária a realização de um bom planejamento, devendo sempre levar em conta as características da região citrícola como a temperatura no decorrer do ano, disponibilidade hídrica e umidade relativa do ar. Para escolher o talhão onde será utilizada esta ferramenta deve-se avaliar a variedade, se a fruta será destinada ao mercado in natura ou indústria, a pressão de doenças e pragas, a nutrição da planta e a carga pendente, verificando a relação custo e benefício, devendo sempre lembrar que o mais importante é analisar as tomadas de decisões passadas para que se possa melhorar no futuro.

62ª edição

UPL Agricultura é nossa cultura