MPB (mudas pré brotadas): a evolução do canavial

MPB (mudas pré brotadas): a evolução do canavial

Manoel Antonio Vieira

Engenheiro agrônomo/Consultor

deciojoaquim@uol.com.br

 

Apesar de, ainda, não terem o seu uso mais generalizado, as MPB – mudas de cana-de-açúcar pré brotadas – são consideradas um progresso na intenção de tecnificar a cultura. Mas, mesmo com o comprovado sucesso da metodologia e o aumento da procura pelo processo, outros entraves fazem com que a produção no campo esteja longe de apresentar um reflexo direto em termos de resultados. Muito está por se fazer. Conheça mais sobre esse método que, efetivamente, demonstra um avanço sobre as técnicas de plantio mais rudimentares e tradicionais

Após mais de 500 anos de exploração da cana-de-açúcar no Brasil, muito pouco foi modificado em relação à sua forma de plantio. O sistema utilizado desde o início do cultivo dessa cultura no país – usando cana-colmo enterrada em sulcos, trazida de canaviais, quase sempre sem nenhum tratamento – foi o responsável pela disseminação de grande número de pragas e doenças. Essa realidade, somada ao crescimento do setor sucroenergético – alavancada pela demanda de energia, pelo etanol, pelo açúcar e seus subprodutos – impulsionou o crescente e grande aumento das áreas plantadas e, com isso, as dificuldades e os desafios cresceram na mesma proporção. Doenças e pragas surgiram com enorme rapidez causando prejuízos cada vez mais significativos, chegando a ameaçar a viabilidade da atividade.

Apesar da utilização de novas variedades, da melhoria no manejo, da implementação da adubação, do emprego de micronutrientes e de outras práticas agronômicas que foram utilizadas, mesmo assim, a remuneração do produtor continuava abaixo das suas necessidades.

Buscando solucionar esta situação, a partir de 2008, o IAC – Instituto Agronômico de Campinas – consolidou e passou a difundir uma nova tecnologia de plantio utilizando mudas pré brotadas – a MPB.

Produção de MPB

A técnica tem como fundamento básico a utilização do meristema – tecido de multiplicação que compõe as gemas – extraído de diferentes formas, podendo ser desenvolvida, também, por meio do uso da cultura de tecido. A extração das gemas e, por conseguinte, dos meristemas é feita de modo mecânico ou manualmente, passando por tratamentos térmico e químico e, na sequência, colocadas em câmaras de germinação com controle de temperatura e umidade. Após a germinação, que ocorre dentro de um período de 10 a 15 dias, as plântulas resultantes são transplantadas diretamente para bandejas ou tubetes, onde completam o ciclo, que dura em torno de 60 dias.

O plantio pode ser feito por meio de matracas ou com transplantadeiras mecânicas tratorizadas, já disponíveis no mercado.

O MPB deve ser produzido por viveiristas especializados na produção de mudas utilizando materiais genéticos com garantias de alta qualidade, rastreabilidade, com todos os controles fitossanitários para evitar a disseminação de pragas e doenças e em conformidade com as legislações vigentes.

Vantagens do uso do MPB

Uma das principais vantagens do uso de MPB – mudas pré-brotadas – na formação do canavial é a garantia da sanidade das mudas, fator primordial para aumentar a longevidade e a produtividade.

Com a adoção desta técnica o produtor deixa de utilizar de 15 a 20 toneladas de colmos (enterrados) por hectare no plantio convencional e o substitui pelo plantio de MPB que poderá ser feito por meio da Meiosi – Método Interrotacional Ocorrendo Simultaneamente -, evitando, com isso, a disseminação de pragas como a Broca Gigante (Sphenophorus Levis) e outras que podem ser transportadas no colmo da cana utilizada.

O uso da Meiosi, feito com o plantio de uma ou duas linhas iniciais de MPB, deixando outras 06 a 10 linhas demarcadas (não plantadas) para plantio quando as mudas estiverem prontas, permite a multiplicação de forma bastante econômica e segura com relação à sanidade do material a ser utilizado. As linhas intermediárias demarcadas podem ser utilizadas na produção de grãos ou de leguminosas para recuperação do solo. Além disso, este processo reduz drasticamente os gastos com a logística de transporte de mudas, quando trazidas de outras áreas.

Além da Meiosi, pode-se utilizar a Cantose, sistema que consiste em se plantar as MPB em torno de 20% da área a ser renovada e utilizar as outras 80% em plantio de grãos ou leguminosas. Isto permite produzir mudas de cana-colmo de qualidade no mesmo local a ser renovado.

Outro grande benefício do uso desta nova tecnologia é a possibilidade de multiplicação e introdução rápida de novos materiais para o mercado, prática que as instituições de pesquisa estão utilizando através de viveiristas credenciados.

Propagines – Plantio inteligente

Trabalhando como consultor no setor canavieiro havia 40 anos e sempre conciliando a atividade de consultoria com a produção de mudas, idealizei a Propagines, que é uma empresa que privilegia a produtividade, fazendo uso das MPB. Como engenheiro agrônomo, sempre acreditei na necessidade de empregar um maior nível tecnológico na implantação e condução dos canaviais.

A ideia de criar a Propagines – Plantio inteligente – surgiu em função de sempre acompanhar o mais avançado nível tecnológico colocado à disposição dos produtores, estar ligado à produção e participando ativamente da comercialização de mudas em viveiros, além de ter em vista que o setor sucroenergético moderno está em constante busca por melhorias e novidades que gerem qualidade, rastreabilidade e sanidade. Surgindo desta forma uma empresa de produção de MPB – mudas pré-brotadas, localizada em São José do Rio Preto, SP, com mais de 40 variedades para comercialização, disponíveis em seu portfólio.

Controle fitossanitário

Imidan 500wp